Rádio Lucarocas Artes e Letras

8/16/2012

IR E VIR SEM DESPEDIDA

IR E VIR SEM DESPEDIDA

                                 Lucarocas


Não saio sem despedida

Não chego me anunciando

Às vezes a minha partida

Faz o tempo ir tropeçando

E muitas vezes partindo

Fico vontade sentindo

De apenas está chegando.


Por isso que a vida minha

Não precisa afobação

Quem nessa vida caminha

Em diversa direção

Termina em desalento

Pois o tempo faz lamento

Pras coisas do coração.


E nesse partir e chegar

Bom mesmo é se existir

E não querer só ficar

Quando se tem que partir

Pois se a vida der sorte

Vivemos até a morte

No encontro de ir e vir.


Felizes são os caminheiros

Que fazem os caminhos seus

Não definem os paradeiros

Nem se preocupam com adeus

Mas que trazem em coração

A pureza da emoção

Do grande amor de um Deus.


Feliz o que tem saúde

E risos de liberdade

E com a sua atitude

Prega o bem e a caridade

E sem fazer despedida

Deixa uma paz de guarida

Do gosto bom da saudade.


Por isso quem vai ou vem

Sem mesmo se despedir

É porque sabe que tem

Novo caminho a seguir

E que nas suas andanças

Põe semente de esperança

Pra novo broto surgir.


Quem chega com alegria

Se partir deixa tristeza

Faz como a noite e o dia

Na sua delicadeza

Mantém tudo equilibrado

No universo marcado

Os timbres da natureza.


Se a lágrima rolar

Em um registro de dor

Um consolo há de enxugar

O sal desse dissabor

E o tempo que é preciso

Trará de novo um sorriso

Pra um rosto sofredor.


Assim nesse ir e vir

Qualquer um é fraco ou forte

Que sonha com o porvir

Num labirinto de sorte

Mas entre feio e a beleza

Só existe uma certeza

Nosso encontro com a morte.


Assim sigo a minha meta

Escrevendo a minha vida

Vivendo sendo poeta

Numa esperança nascida

Morrendo sem ter vontade

Fazendo minha liberdade

Ir e vir sem despedida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário